busca por faixa etaria

Bronquiolite no inverno

| 19.05.2015

da redação

Essa infecção por vírus acomete, sobretudo, as crianças de até dois anos e os prematuros. Saiba como identificar e proteger seu filho

Com a chegada do outono e do inverno, a incidência de bronquiolite aumenta nos consultórios pediátricos e atendimentos de emergência. De acordo com Roberto Tozze, pediatra do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas, isso acontece, pois, neste período as pessoas tendem a se manter mais confinadas, compartilhando o mesmo ambiente. “Como o aparelho respiratório dos bebês e crianças menores está em desenvolvimento, é comum que eles apresentem os sintomas de bronquiolite, que é a infecção dos bronquíolos causada por vírus que são encontrados nos objetos e não no ar”, explica doutor Tozze. Neste sentido, crianças de zero a dois anos estão mais suscetíveis, pois têm o hábito de levar brinquedos e demais objetos à boca.

No início, o quadro se parece com um resfriado comum, caracterizado por coriza, tosse e febre. Entretanto, depois de três dias, a segunda fase da bronquiolite começa a se manifestar causando desconforto respiratório. “As mães notam que o peito chia e que o filho está bastante cansado, ofegante. Esses sintomas diferenciam a bronquiolite do resfriado”, detalhe o especialista.

Como tratar

A atenção redobrada à hidratação e o repouso, sobretudo, para as crianças que convivem em creches, estão entre as principais recomendações médicas. O tratamento, de acordo com Roberto Tozze, deve contar também com inalação (que pode ser administrada apenas com soro fisiológico ou medicamento vasodilatador). Esse componente auxilia o fluxo de limpeza das secreções do aparelho respiratório. “Mas não deve ser utilizado sem recomendação médica, pois pode gerar efeitos colaterais como tremores e arritmia cardíaca, sobretudo, nos pacientes mais propensos”, pondera o pediatra.

Roberto Tozze lembra ainda que quanto menor a criança, mais grave o quadro se configura e pode demandar suplementação de oxigênio. Sessões de fisioterapia podem ser indicadas conforme evolução clínica.

A criança com bronquiolite pode levar sete dias ou mais para se recuperar, mas, no decorrer do tratamento, os pais devem ficar alerta se, mesmo medicado, seu filho continuar prostrado, cansado e o chiado não melhorar.

Previna-se e proteja seu filho!

Conserve as mãos sempre limpas, principalmente, quando for cuidar da criança

Quando houver muitas pessoas dividindo o mesmo ambiente, sempre que possível, mantenha-o ventilado.

Evite o acúmulo de poeira e mofo nos cômodos de convivência dos pequenos.

Racionalize o uso do umidificador. No inverno, doutor Tozze recomenda o aparelho apenas entre 12h e 17h. Durante a noite, a umidade do ar, normalmente, já atinge nível satisfatório, então, neste caso, o umidificador pode contribuir para a proliferação de fungos.

ABC da Saúde Infanto-Juvenil. Todos direitos reservados |2013